Tag: caneta da marta

Na última vez que estive contigo

Na última vez que estive contigo fomos as duas andar de baloiço no parque. Os Cinzentos mandaram-nos olhares reprovadores e nós comentámos o bom que era termo-nos uma à outra como companhia para andar de baloiço no meio da cidade e que os deviam fazer para adultos também. Porque, num mundo que nos torna monocromáticos ...

Consultadoria

De cabeleireira farfalhuda cortada à tigela, tem um quê de Ringo Starr se tivesse tirado Gestão. O ângulo do perfil parece completamente à mercê do nariz e do seu esforço consciente em manter-se elevado – o que, é sabido, mostra ao mundo como somos conhecedores e capazes. Mas quando se afasta do portátil anda e ...

Translations

O meu amigo Ricardo escreve umas coisas – bastantes e boas. Há poucos dias publicou, no seu cantinho virtual, um poema em que pede para não ser traduzido. O que me pareceu a oportunidade perfeita para exercitar os músculos de tradutora e pseudo-poeta. Sem mais demoras, aqui vai: My friend Rick (see what I did there?) ...

Mais, por favor

Quando era pequena, o meu pai tentou (exaustivamente) convencer-me a ter aulas de aikido. “Não quero! Quero ser bailarina!”, protestava eu. “O aikido é quase uma dança,” argumentava o meu pai “vais ver que vais gostar.” Mas a Marta de 8 anos não queria saber. A Marta de 8 anos queria era lantejoulas, dançar em ...

Viver com Esclerose Múltipla

O próximo dia 31 de Maio marca o Dia Mundial da Esclerose Múltipla. Para assinalar a data, a Sociedade Portuguesa de Esclerose Múltipla (SPEM) organizou uma exposição no jardim exterior do Centro Comercial Colombo que, para além de querer divulgar a doença e as várias formas de apoio, tenta, principalmente, mostrar-nos o que é viver ...

Amélia dos olhos doces

Há cerca de 3 anos atrás, decidi colaborar com a Associação Mais Proximidade Melhor Vida (MPMV) e voluntariei-me para visitas semanais a um(a) idoso/a a ser designado. Alistei a amiga Stella e, pouco tempo depois, fomos informadas de que iriamos visitar uma octagenária “bastante culta, que fala com a família por Skype, por Facebook e por ...

74 x 34 x 60 mm

Dimensões conservadas. Discretamente heterogéneo apenas. Linha sem alterações intrínsecas. Septação fúndica já conhecida já alvo de intervenção. Cavidade virtual. Pequenas imagens líquidas infracentimétricas simples. Visibilidade anexial direita mais satisfatória do que a esquerda. Douglas livre. Dimensões conservadas. Discretamente heterogéneo apenas. Linha sem alterações intrínsecas. Septação fúndica já conhecida já alvo de intervenção. Cavidade virtual. Pequenas ...

O Pai

em·pa·ti·a (grego empátheia, -as, paixão) substantivo feminino Forma de identificação intelectual ou afectiva de um sujeito com uma pessoa, uma ideia ou uma coisa (ex.: a empatia entre os voluntários e a população local era evidente; assistimos à perfeita empatia entre piano e violino). in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa   Esta semana, a Associação ...

O mistério do número que se calhar não é meu

Aqui há uns anos comprei um cartão de telemóvel de uma rede que não era a minha habitual, e que já raramente uso. Desde esse dia que comecei a receber periodicamente SMS a avisarem-me para pagar a factura da Cabovisão (de quem não sou cliente), para levar o carro que não tenho com uma matrícula ...

a série que me está a fazer deixar o Game of Thrones na prateleira

A fórmula não tem muito de original: Equipa all-stars composta por personagens da literatura vitoriana? Check. Sangue e sexo semi-gratuitos por todo o lado? Check. Vampiros? Check. A Eva Green a fazer de bruxa? Check, check e check. Penny Dreadful traz-nos o Dr Frankenstein e a sua criatura (ironicamente, talvez a personagem mais bela da série), o hedonista Dorian ...

Obediência

Ver filmes sobre os quais só se sabe o título tem as suas vantagens. A história começa com o início de um dia de trabalho num franchise de fast food. Conhecemos a gerente, o empregado calão, a loirinha mais interessada em mudar as capas do telemóvel do que em atender clientes, e tudo filmado em ...

&

“I’ve been too honest with myself I should have lied like everybody else”

Always the late bloomer,  foi preciso chegar aos trintas-e para ouvir de forma obsessiva álbuns com 20 anos (1994 já foi há 20 anos…?), que gritam angústias existenciais, revolta contra políticos e psicopatas, e me fazem cantarolar na rua there ain’t no black in the union jack. O belíssimo Journal, com o melhor dos dois ...

ver a doença invisível

Numa época em que toda a gente fotografa tudo para todo o mundo ver, sabe muito bem encontrar projectos um bocadinho mais relevantes do que a actividade gastronómica do alheio – como fugir um pouco aos nossos umbigos e tentar ver uma realidade que não conhecemos. A esclerose múltipla é  uma doença autoimune  e degenerativa ...

destinos

– Uma vez leram-me a sina, há muitos anos atrás – conta-me ela à luz do pequeno candeeiro que já lhe fere a vista. Abre a palma da mão em frente à cara: – “Você devia ter casado nova. Agora já não casa.” Devia ter sido o João. Era tão apaixonado por mim… Eu fui ...

metrónomos

Sempre entendi muito bem o Peter Pan. Cada vez mais entendo a fobia do Gancho. (Quem foge do tique-taque ainda tem salvação?) ilustração: Oliver Herford. The Peter Pan Alphabet, 1907   Sempre entendi muito bem o Peter Pan. Cada vez mais entendo a fobia do Gancho. (Quem foge do tique-taque ainda tem salvação?) ilustração: Oliver ...

facturas

Ilustração: Hélder Oliveira A autora deste blog tem para si que a ideia do governo sortear carros e afins a quem pedir mais facturas é uma contra-medida dissimulada ao boicote que o povo fez de as pedir todas em nome dos ministros e presidente. Kirikiri. Ilustração: Hélder Oliveira A autora deste blog tem para si que a ...

raízes

Desde pequena que tinha a pancada de querer ter tudo registado – conversas, datas, rostos, artefactos… Pensava que bom, bom, era cada um de nós ter uma espécie de mecanismo que fosse registando tudo por escrito, qual estenógrafo interno, em forma de guião ou semelhante. Como acontece com todas as nossas ideias ultra-originais, já fizeram o ...

dust

Não sou pessoa de reler livros. Porque sou uma leitora lenta e há sempre mais livros que ainda não li na lista de espera. Mas a obra-prima do tio Pullman é uma excepção e o Will continua a ser melhor que qualquer Darcy. Abençoado Kobo que me deixa trazer uma trilogia inteira na mala. ilustração: ...

uma foto por semana: it’s the goblins!

Desde ter tido a luz inadvertidamente cortada pela EDP, a uma intoxicação alimentar e uma avaria-por-enquanto-sem-resolução no MacMini… …o desafio semanal de fotografia tem sido cumprido (tanto em formato digital como analógico) mas o resultado só será postado sabem os deuses quando. (Mercúrio, pensava que eramos amigos…!) ilustração: Gary Laib Desde ter tido a luz ...

pretextos: uma foto por semana

Como moça dispersa e indisciplinada que sou, preciso de listas. Listas que crio sempre com método de bibliotecária mas executadas sem fio nem pavio – e que raramente acabo. Mas há listas que são pretextos para criar. A ideia não é nova e é aplicável a qualquer forma de expressão artística. Qual TPC, há os ...

einstein explica

Pedem-me para registar quanto tempo demoro em cada uma das minhas tarefas ao longo do dia. Demora tudo muito menos tempo do que parece. Pedem-me para registar quanto tempo demoro em cada uma das minhas tarefas ao longo do dia. Demora tudo muito menos tempo do que parece.

it’s History, stupid

Notícia de hoje no Público, citando o senhor cardeal Gianfranco Ravasi: Jesus usou o tweet antes de todos, com as suas frases cheias de essência e que tinham menos de 45 caracteres. Claro. Porque, como toda a gente sabe, foi Jesus que escreveu os Evangelhos. E divertiu-se tanto que os escreveu 4 vezes. Porque o ...

crenças

There are some books that refuse to be written. They stand their ground year after year and will not be persuaded. It isn’t because the book is not there and worth being written—it is only because the right form of the story does not present itself. There is only one right form for a story ...

austenismos

She hoped to be wise and reasonable in time; but alas! Alas! She must confess to herself that she was not wise yet. Persuasion, Jane Austen Alguém me disse, em tempos, que era o melhor livro da amiga Jane. Talvez já não tenha idade para eles, talvez, por ter sido o último, estivesse à espera ...

cabalismos

Comprei um livro de numerologia cabalista que ‘descodifica o contrato da alma’ de cada um. Depois de inúmeras somas, é-me revelado que parte da solução para os meus problemas de dinheiro é pensar duas vezes se objecto de consumo X é realmente necessário. Posto isto, devolvi o livro e recuperei 13€. Comprei um livro de ...